Carrara-versão brasileira

WhatsApp Image 2019-11-24 at 11.47.34

A economia está estreitamente ligada ao setor do mármore, da extração na pedreira aos estágios de processamento e transformação em produtos para a construção civil, arquitetura, desenho urbano e do setor de artes. As pedreiras estão localizadas nas três principais bacias mineiras que ficam atrás da cidade de Carrara até o Monte Maggiore.

Logo na entrada da cidade depara-se com um monumento lindo, um bloco único trabalhado com cerca de 12 metros de altura.

Ainda apreciando a paisagem, a nossa primeira vista de Carrara foi um espetáculo, como se pudéssemos colocar num mesmo lugar um encontro de belezas naturais, de um lado o mar e do outro as belas montanhas de mármore!

A cidade tem muitas paisagens e passeios interessantes, vou tentar falar um pouco dos que consegui visitar.

Antro del Corchia

O passeio guiado pelo Antro del Corchia se estende por cerca de 2000 metros, através de uma ampla passarela de aço. A primeira entrada foi descoberta em 1847 pelo naturalista Emilio Simi. O Antro del Corchia representa um ambiente subterrâneo tão grande que hoje, séculos após sua descoberta, ainda é palco de explorações continuas e representa uma fronteira empolgante para espeleólogos e exploradores de minas subterrâneas.

 

 

A visita permite um contato muito lindo com a natureza. É um complexo de túneis, poços e salas esculpidas pela água ao longo de milhões de anos dentro do coração de mármore de Monte Corchia podendo apreciar muitas estalactites. A guia mostra o caminho que vamos percorrer, mas no entanto, já conta todas as outras entradas que já se conhece da mina. A parte em vermelho representa o percurso que é feito na visita.

O percurso passa pela Galeria Franosa, um desfiladeiro espetacular, com dezenas de metros de altura. A Franosa dá lugar à Galeria dos Ingleses, assim nomeada em homenagem aos exploradores britânicos que a descobriram na década de 1960, observa as primeiras concreções gigantes e um lago fóssil subterrâneo. A visita é concluída com o “anel”, um caminho circular que oferece o ambiente subterrâneo mais espetacular que você pode ver: imensos salões adornados com estalactites e estalagmites, concreções espetaculares, uma série de obras de arte moldadas pela água e por rock ao longo de milhões de anos.

 

 

A guia acompanha o grupo e conta a história parando em alguns pontos. Segundo a guia a Caverna Turística Antro del Corchia representa atualmente o maior ambiente subterrâneo conhecido da Itália e um dos maiores de todo o continente. Durante a visitas encontramos alguns espeleologistas explorando a montanha e descobrindo novas belezas no lugar.

A guia explica que até o momento, cerca de 70 km de cavernas e até 20 acessos diferentes foram explorados e mapeados em cada lado da montanha. A rota turística possui passarela de aço passando por alguns dos lugares mais sugestivos da caverna, não apresenta grande dificuldade.

Segundo a guia a Caverna Turística Antro del Corchia representa atualmente o maior ambiente subterrâneo conhecido da Itália e um dos maiores de todo o continente

Cava Museo Fantiscritti – Carrara

É uma visita que proporciona uma experiência única, 2000 anos de história, contemplando a arte e vida social vivida por esses trabalhadores. É um museu a céu aberto, não muito grande, mas que merece parar em cada explicação e entender o processo anteriormente praticado no mármore.

Durante a   visita observa-se as fases do antigo processamento e transporte de mármore e, sobretudo, o aspecto social, duro e cansativo enfrentado por esses trabalhadores, que nos permitiram ao longo dos séculos extrair o mármore que encontramos em o mundo inteiro.

Adentrando no museu é possível conhecer a história da mineração de mármore na região com diversas representações de pessoas, além dos equipamentos utilizados no passado.

Cava Di Fantiscritti – GALERIA RAVACCIONE No. 84

Os Alpes Apuanos são o berço de algumas das pedreiras tanto céu aberto quanto subterrânea da região. Somente passeando é possível ver muitas delas e máquinas mecânicas para extração e processamento.

O mármore sempre foi considerado um material de prestígio, pois é muito durável e lindo de se olhar. A mina subterrânea Pedreira de Marmore de Fantiscritti se encontra próxima ao museu.

A visita é guiada, chega até a entrada da mina e então o acesso é através de um micro-ônibus com guia na língua disponível. Entramos em um túnel bastante desigual que em torno de 3 minutos chega-se ao centro da pedreira.

O guia mostra as imensas salas da “Catedral do mármore” e fornece informações sobre o nascimento da pedreira na galeria, as máquinas e seus usos, as técnicas de extração e informações sobre o mármore.  Pilares naturais enormes apoiam e dividem as várias frentes onde o mármore é continuamente extraído.

Dentro da mina a sensação de profundidade e largura é perdida. A temperatura permanece constante durante todo o ano é de 14 a 16 graus com uma umidade muito alta. Em todo lugar que olhamos encontramos enormes paredes de mármore suavizado pela ação humana. Também é possível admirar o Mural de Ozmo, que reproduz a Gênese de Michelangelo. Um mural de 160 metros quadrados de homenagem de Ozmo a Michelangelo.WhatsApp Image 2019-11-24 at 11.45.00

Também é possível admirar o Mural de Ozmo, que reproduz a Gênese de Michelangelo. Um mural de 160 metros quadrados de homenagem de Ozmo a Michelangelo.

A operação de lavra ocorre no mesmo tempo da visita, com muita segurança podemos “assistir a lavra” e observar um pouco do processo extrativo do mármore em blocos. Bem grandioso e diferente… vale a pena parar um pouco e conhecer o método. Durante este período o guia explica o processo atual e sempre disposto a responder as várias dúvidas dos visitantes.

Além da mineração encontramos o vinho espumante que fica dentro da mina, no mínimo curioso. E o guia nos explica como nasceu o Straordinario e o que é “Extraordinário” o vinho espumante e “Extraordinário” o mármore. Nascido de uma ideia de Francesca Dell’Amico, o Straordinario é um método clássico preservado dentro da galeria e feito a partir de uvas nativas (vermentino e albarola) das colinas de Apuan. A peculiaridade é o microclima da pedreira que permanece constante ( de 14 ° a 16 ° C ). O procedimento é especial, a etiqueta de cobre com as palavras “Straordinario”, a tampa e o gargalo da garrafa com as pérolas, tipo joia e em torno da marmettola. Algumas são mantidas na banheira Torart cheia de marmettola, outras são embaladas em uma caixa de madeira com uma tampa deslizante em mármore de Carrara, que torna esse produto ainda mais exclusivo. O valor que nos foi informado no dia da visita foi 300 euros a garrafa.

Collonata

Colonnata é uma antiga vila italiana de Carrara, está situada nos Alpes Apuanos e é conhecido mundialmente pela iguaria de gordura de porco Lardo di Colonnata e por suas pedreiras de mármore. Fundada em 177 a.C, a cidade foi construída em cima das maiores jazidas de mármore do mundo. Vale salientar que foi daqui, destas montanhas, que saiu o bloco de mármore que deu origem a uma das maiores obras primas da humanidade: o David de Michelangelo. Este monumento Al Lavatore representa a arte no mármore. Pode apreciar a história da sua extração desde o início do processo neste lindo “livro”. A riqueza de detalhes impressiona.

Agora abrindo a leitura para o Lardo di Colonnata, uma comida bem conhecida e procurada na região. O armazenamento e cura do lardo é único, como único é o mármore branco das pedreiras de Carrara. A gordura do porco é tratada e depois é conservada em “conche“(como caixas) de mármore de Carrara, e colocados em camadas alternadas, a banha de porco e sal com especiarias. Nas “conche” são esfregados com alho, tem temperatura e umidade especial, de modo que o produto acabado é único. A caixa, “conche” é coberta e reaberta cerca de 6 a 10 meses depois de completar a maturação.

O nosso almoço depois da visita não poderia ser diferente… lardo com alguns queijos, presunto parma, pães e geleias deliciosas. Graças às bacias de mármore, alho, ervas e especiarias, um simples pedaço de gordura da parte de trás do porco se transforma em uma delícia da culinária local. Esse nobre salame é produzido cortando a banha em pedaços quadrados, organizando-os dentro das bacias de mármore para não deixar espaços e cobrindo-os com sal e uma mistura de alho, ervas e especiarias, naturalmente secretos e zelosamente guardados por todo produtor que tiver sua própria receita.

Por toda a cidade é fácil observar esculturas maravilhosas de mármore que contam histórias ou um passo dentro do processo de extração

Mais algumas fotos:

Por toda a cidade é fácil observar esculturas maravilhosas de mármore que contam histórias ou um passo dentro do processo de extração. Esta, especialmente, conta uma história de como eram transportados os mármores: No Centro histórico de Carrara tem-se muitas esculturas e trabalhos que eu nunca pensaria que poderiam ser feitos de mármore, as vezes pelo preço, as vezes pela riqueza e delicadeza.


Consideraçoes pessoais

Enfim… Carrara é uma inspiração, uma magia ímpar. Quem me dera se eu conseguisse expressar nestas linhas a beleza que encontrei nesta cidade. Impressionante a forma que eles contam as histórias, em palavras e principalmente em imagens. As peças esculpidas são uma perfeição, uma riqueza de detalhes impressionante. Verdadeiras obras de arte espalhadas pela cidade e ao encontrar com um artesão local, pude observar a alegria e prazer em trabalhar um mármore “puro” e a satisfação em explicar a pureza de cada material, sua característica e seus segredos…

Foi realmente uma realização visitar Carrara, cidade muito acolhedora, com monumentos maravilhosos com os mais lindos mármores sendo utilizada em esculturas espetaculares. Conhecemos também os teares onde são beneficiado os blocos e também escultores que trabalham lindamente o mármore foi uma experiência única.

Agradeço imensamente ao meu amigo Cesare que me proporcionou conhecer este lugar com tantos detalhes e magia. Minha câmera não conseguiria jamais expressar o encantamento que nos traz a cidade do mármore… Carrara!! Até breve.


(Autora: Rita de Cássia Pedrosa Santos, ingeniera de Minas y profesora de la Universidad Federal de Goiás UFG, Brasil)

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s